sábado, 15 de março de 2014

MALASYA AIRLINES MH370, FATOS ESTRANHOS








 Texto da NET  com # de Ivan Figueiredo, porem parece tradução de  original em
Inglês . O fato é que é correto e assustador sobre o que pode ter ocorrido com o vôo

Da Malasya Airlines. 




Existem alguns fatos muito estranhos a respeito do voo MH370 da Malasya Airlines, o avião que simplesmente desapareceu. O mistério do repentino e completo desaparecimento do avião deixou as autoridades de segurança aérea perplexas no mundo todo. De acordo com Paul Hayes, diretor de segurança e seguros da Ascend Worldwide, uma empresa britânica que presta assessoria aérea, "por enquanto, parece simplesmente inexplicável".

E enquanto as autoridades responsáveis permanecem atônitas, a mídia mainstream tampouco fala toda a verdade acerca do episódio. Abaixo apresento alguns fatos, que a mídia tem ocultado, e que tornam o desaparecimento ainda mais sinistro.

1)- Todos os aviões comerciais Boeing 777 são equipados com "caixas-pretas" que são capazes de suportar qualquer explosão a bordo da aeronave. Nem a explosão do avião em si poderia destruir a caixa, que é uma estrutura a prova de bombas, e que grava tudo que ocorre no avião, desde a decolagem até o pouso.

2)- Todas as "caixas-pretas" emitem um sinal localizador durante 30 dias no mínimo, mesmo que caiam no oceano. E mesmo assim, nenhum sinal da "caixa-preta" do voo MH370 foi detectado. E é por isso que os investigadores estão tendo tantos problemas em encontrá-lo. Normalmente, eles apenas precisariam acionar o "home-in" remotamente, para que o sinal fosse detectado. Mas nesse caso, a ausência do sinal do equipamento - um objeto construído para suportar explosões e a enorme pressão das profundezas marinhas - faz pensar que ou simplesmente desapareceu, apresentou algum defeito, ou acabou sendo destruído por alguma força muito maior do que aquelas calculadas pelos projetistas.

3)- Muitas das partes que constituem o avião são flutuantes, e naturalmente subiriam para a superfície. Em casos anteriores de aviões que caíram no oceano, ou que foram destruídos acima dele, destroços sempre foram avistados boiando na água. Inclusive, caso você nunca tenha lido as instruções de voo para os passageiros, os assentos, todos, flutuam. Justamente para se caso houver um acidente com sobreviventes, estes possam boiar enquanto aguardam o resgate. Muitas outras partes não metálicas dos aviões apresentam esta característica. Se o voo MH370 houvesse sido destruído acima do nível da água, ou mesmo que houvesse caído inteiro no mar, haveria grande quantidade de destroços flutuando em uma área muito grande de oceano. O fato de ainda não se ter avistado um único destroço, somente aumenta o mistério, que faz parecer como se o avião simplesmente tivesse sumido da face da Terra.

4)- Se um míssil tivesse atingido o avião, teria deixado um sinal no radar. Uma teoria que anda circulando na net, diz que um míssil derrubou o avião, e que de alguma forma conseguiu explodir o avião e todo o seu conteúdo em "pedacinhos" - o que significa pedaços muito pequenos de matéria e que seriam indetectáveis como detritos. O problema com esta teoria é que não existe um míssil, pelo menos que seja conhecido, terra-ar ou ar-ar com tal capacidade. Todos os mísseis conhecidos geram tremenda quantidade de detritos quando explodem no alvo. Tanto o míssil e os detritos produzem assinaturas muito grandes no radar, que seriam facilmente visíveis, tanto para os navios militares quanto para as autoridades de tráfego aéreo.

5)- O maior encobrimento é aquele que a mídia anda noticiando, que não se sabe a localização exata do avião no momento do seu desaparecimento. A localização do voo MH370 quando desapareceu não é mistério nenhum. Os controladores aéreos têm detalhes completos de exatamente onde a aeronave estava no momento em que desapareceu. Eles sabem a localização, a elevação e a velocidade em que viajava - três partes de informação, que podem facilmente ser usadas para estimar a localização provável dos detritos. Lembre-se: os investigadores de segurança aérea não são pessoas estúpidas. Eles viram explosões em pleno ar antes, e eles sabem como detritos caem. Já existe um conjunto de dados substancial de explosões e acidentes de avião a partir do qual os investigadores podem fazer suposições bem informadas sobre onde os detritos devem ser encontrados. E, no entanto, mesmo armados com toda essa experiência e informação, eles permanecem totalmente confusos sobre o que aconteceu com o voo MH370.

6)- Se o MH370 tivesse sido sequestrado, o sinal do radar não teria simplesmente sumido. O sequestro de um avião não faz com que ele simplesmente desapareça do radar. Mesmo que os transponders estivessem desativados no avião, o radar de solo ainda poderia facilmente rastrear a localização da aeronave usando o chamado radar "passivo" (sistemas de radar clássicos terrestres que emitem um sinal e acompanham a sua reflexão). Assim, a teoria de que o voo foi sequestrado não faz qualquer sentido. Quando os aviões são sequestrados, eles não desaparecem magicamente do radar.

A conclusão inevitável a partir do que sabemos até agora é que o vôo 370 parece ter completamente e inexplicavelmente desaparecido. É evidente que não foi sequestrado (a menos que haja um cover-up em relação aos dados de radar), e podemos ter quase certeza, a cada hora que passa, que não foi uma explosão em pleno voo, a não ser que os destroços surjam repentinamente e tenha-se o entendimento de que de alguma forma perdeu-se a capacidade de localização dos mesmos. 

A conclusão inevitável é que o vôo 370 simplesmente desapareceu de alguma maneira que nós ainda não entendemos. Isto é o que está originando todos os tipos de teorias bizarras que surgem em todo a net, incluindo discussões sobre possíveis testes de armas militares secretas, ondulações no Triângulo do Dragão, como no tecido do espaço-tempo, e até mesmo a conjectura que tecnologia alienígena pode ter teletransportado o avião.

A explicação mais provável até agora é que os detritos simplesmente ainda não foram encontrados porque caíram sobre uma área que é de alguma forma, fora da zona de pesquisa. Mas a cada dia que passa, mesmo essa explicação torna-se cada vez mais difícil de engolir. 

A parte assustadora sobre tudo isto não é se nós vamos encontrar os destroços do voo MH370, mas, sim, se nós não vamos. Se nós nunca encontramos os restos, isso significa que alguma força totalmente desconhecida e poderosa atua em nosso planeta, que pode arrancar os aviões do céu sem deixar sequer um fragmento de evidência. 

Se existe uma arma com tais capacidades, quem a controla já tem a capacidade de dominar todas as nações da Terra com uma arma militar temível e de poder inimaginável. Esse pensamento é muito mais assustador do que a ideia de uma aeronave sofrer uma falha mecânica fatal.



sábado, 15 de fevereiro de 2014

DC10, a Maquina



- Primeiro avião comercial com comandos totalmente hidráulicos.
- Dois pilotos automáticos duplos que permitiam fazer autoland.
- Sistema de auto-slat que baixa automaticamente os leading edge
  Flaps em caso de necessidade.
- Automatismos que auxiliam os pilotos e não disputam o comando
  Da aeronave com eles.
- Sistema de pressurização que não provoca desconforto aos passageiros
- Operado por três tripulantes (CMT-POF- e FLT ENGINEER)
- Autonomia de mais de doze horas de vôo.

Fotos cedidas por Antonio Carlos Scudeler

















segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

VARIG \ AERUS , O DRAMA CONTINUA

Reflexões e Perspectivas
Fazer parte de um grupo que há oito anos luta pelo simples direito de viver de seus próprios meios remete a profundas reflexões, todas infelizmente carentes de perspectivas otimistas. Começando pelo óbvio, é inacreditável ter de se empenhar numa luta – de vida e morte já não é exagero – apenas para pedir de volta uma aposentadoria privada, num caso inédito de expropriação que deixa escandalosamente evidente a podridão que é o atual desgoverno petista.
Não menos escandalosa é a procrastinação do judiciário onde, incontáveis “vistas” – um eufemismo para... Danem-se!, - são pedidas segundo o critério do... – “Neste tribunal só nos ocupamos das grande causas, especialmente as de grande efeito midiático...e se mais alguns de vocês morrerem, não nos interessa”.
No legislativo, a maioria nos ignora totalmente com exceção de uns três ou quatro batalhadores que são por sua vez sistematicamente enganados quando conseguem arrancar alguma declaração sobre o andamento de acordos, tratos e tentativas de solução para os aposentados e demitidos da Varig.
Digo que são enganados e, dada a posição que ocupam, desrespeitados o que passa uma impressão bem nítida desta “presidenta” e do grupo sinistro de que faz parte. Quantas vezes, só neste ano que se vai, foram portadores de notícias de que um possível acordo estava nas mãos dela?
Como não duvido de Paulo Paim, Ana Amélia, Alvaro Dias, e Rubens Bueno, só posso concluir que mentiram a estes parlamentares com a intenção de nos manter paralisados, inermes à espera de algo que nunca será concluído.
Mas enquanto políticos bem intencionados - poucos infelizmente - são enganados, nós, considerados os nossos direitos e as nossas urgências, deveríamos acabar com nosso próprio auto engano e partirmos para a formatação de um discurso único e a criação de uma rede de ativismo que não deixasse passar um dia sequer sem uma manifestação contundente a denunciar o crime que este desgoverno pratica contra nós. Sei que a reação imediata de alguns será a de que estou chovendo no molhado, que isto já foi feito e não deu certo.
Pergunto: Quando? Como? Por quem? E, principalmente, com que conteúdo? Até hoje só vi róseas declarações de boas intenções, tanto de quem diz nos representar como de figuras do poder eventualmente pegas numa saia justa sem poder dizer o que realmente pensam, isto é, que nos danemos todos.
Assim a minha reflexão final – que pode não levar a nenhuma grande perspectiva – é que nunca fomos capazes de afinar um discurso e que isto precisa mudar. E mudar significa muita gente escrevendo e descendo o pau no governo, no judiciário e no legislativo. Pode ser feito de maneira civilizada, mas tem de ser feito pelo simples fato de que “autoridades” estão no poder por vontade própria, não foram obrigadas a estar onde estão, mas, uma vez lá, não tem o direito de prejudicar quem não é autoridade, mas é o patrão – nós, eleitores e pagadores de impostos.
2014 é ano de eleições e eleição é VOLUME. Seja de votos, seja de influência, seja de poder econômico. Assim como campanhas por direitos, por melhoramentos e por justiça, como é o nosso caso, também só deslancham quando adquirem VOLUME, algo que jamais fomos capazes de sequer elaborar.
Que cada um medite em como é injusto ser roubado e pense nisto que proponho ou sugira algo melhor.
Na medida do possível, Feliz Ano Novo,
JC Bolognese

quarta-feira, 17 de abril de 2013

TAM vende passagens aéreas mais caras para brasileiros








RICARDO GALLO-FSP
DE SÃO PAULO
Atualizado às 20h41.

A TAM colocou à venda passagens aéreas para cidadãos estrangeiros mais em conta do que para brasileiros --a passagem para brasileiros sai até 400% mais cara.
Procurada, a companhia aérea disse que ocorreu um erro no sistema de disponibilização de tarifas, causando uma grande diferença nos preços, para iguais trechos, nos sites do Brasil e do exterior.
Uma das rotas mais caras do Brasil, a ponte aérea entre Congonhas e Santos Dumont, saía a R$ 232 para quem comprasse o bilhete no site da empresa dedicado aos Estados Unidos, para embarcar no mesmo dia --o que em geral tornaria a passagem muito mais cara. Para brasileiros, no entanto, o mesmo voo custa 400% a mais: R$ 1.263, com taxas.
Entre o aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, e Porto Alegre (RS) o preço para brasileiros era de R$ 864,14, enquanto para estrangeiros era R$ 316, o que corresponde a 63% menos. O mesmo ocorre em voos para Brasília.
Ontem a Folha tentou comprar um bilhete mais barato no site dos EUA, mas a informação foi que o cartão de crédito --com origem no Brasil-- não era aceito.
A história veio à tona na tarde desta terça-feira, quando uma campanha no Facebook acusou a TAM de praticar preços distintos para o mesmo produto.
PAGOU A MAIS
Para Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Proteste, os consumidores que tiverem pago mais caro pelo bilhete podem reivindicar o preço mais barato adotado para os estrangeiros. O artigo 31 do código diz que, se houver divergência de preços, o consumidor arcará sempre com o mais baixo. Questionada, a TAM reafirma que houve um erro no sistema.
A Folha procurou a Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor), do Ministério da Justiça, que disse que cobrará explicações da TAM. Se constatada infração ao código de defesa do consumidor, a companhia poderá ser multada em até 6,2 milhões.
OUTRO LADO
Em nota, a TAM afirmou que o erro foi temporário e já foi corrigido.
A empresa destaca ainda que "trabalha com o conceito de composição dinâmica de preços, tanto no mercado brasileiro quanto no exterior. Sendo assim, o que determina o valor das passagens é a demanda de cada perfil de passageiro e a oferta disponível, o que pode variar de acordo com cada mercado. Por isso, o site da TAM possui versões para cada país em que a empresa opera, obedecendo às legislações locais. Cada uma das versões só permite compras com cartões de crédito emitidos no país selecionado pelo cliente". 

Comentario ByAAC
Esta pequena noticia mostra muito bem como Brasileiros são tratados pelas duas principais transportadoras aéreas do Pais . Será  que alguém acredita que foi um erro acidental ? , me engana, que parece que nos brasileiros gostamos.
Outro absurdo, passagem Congonhas Santos Dumont a R$ 1263,00 mais caro que São Paulo Miami, isto tem um nome: agiotagem. Onde estão os órgãos reguladores e fiscalizadores do governo.

sexta-feira, 29 de março de 2013

GOL , LINHAS AÉREAS BURRAS



7/03/2013 - 03h50

Após prejuízo bilionário, só a água será gratuita nos voos da Gol

RICARDO GALLO DE SÃO PAULO

A fim de reduzir custo e obter mais receita, a Gol acabará até maio com o serviço de bordo gratuito em todos os seus voos domésticos. De graça, só um copo de água será oferecido -ainda assim, a quem pedir.

A medida é tomada no momento em que a Gol anuncia prejuízo de R$ 1,5 bilhão no ano passado, o dobro das perdas registradas em 2011. No quarto trimestre de 2012, a empresa registrou perdas de R$ 447,1 milhões em meio a alta nos custos de combustível e gastos adicionais com o fim da Webjet.

O resultado negativo anunciado ontem ocorreu apesar do avanço de 7,5% nas receitas no ano passado, para mais de R$ 8 bilhões. A informação sobre o fim do serviço de bordo gratuito está em comunicado distribuído a pilotos e comissários, a que a Folha teve acesso.

Os voos nacionais correspondem a 95% da operação da companhia, que é a única a oferecer venda a bordo no Brasil. O processo começou em 2009 e hoje abrange metade dos voos nacionais. Na TAM, na Avianca e na Azul, o serviço é grátis.

Desde segunda-feira, o cardápio pago foi estendido para os voos da ponte aérea entre os aeroportos de Congonhas e Santos Dumont. Isso significa que, neles, a opção grátis se restringe a água.

Até a semana passada, os passageiros da ponte aérea recebiam, de graça, amendoim, suco e refrigerante. Também anteontem a Gol estreou quatro novos kits de cardápio: café da manhã e lanche nas versões "saudável" e "tradicional". Cada kit custa R$ 10 e só é aceito pagamento em dinheiro.

Um café da manhã saudável, por exemplo, traz suco de caixinha, queijo processado light, pãozinho, barra de cereal e geleia light. Não há sanduíches entre as opções.Por enquanto, cada voo terá apenas 26 kits -para uma média de 150 passageiros.

No mundo, a venda a bordo é prática comum; companhias de baixo custo, como Ryanair e Easyjet, foram as precursoras do modelo.Nos últimos anos, mesmo as companhias aéreas que oferecem serviço gratuito passaram a reduzi-lo

"Acreditar no sucesso deste serviço é o início de tudo. Tenham certeza de que estamos disponibilizando um produto de qualidade. Sejam multiplicadores dessa ideia", disse a Gol no texto destinado aos funcionários.

O combustível, que subiu 18% anuais em dois anos, é um dos motivos para o prejuízo. Outros fatores citados pela Gol são a alta do dólar e o aumento acima de 30% nas tarifas aeroportuárias.

Colaborou MARIANA BARBOSA, de São Paulo

Comentário  ByAAC

Mais uma vez a diretoria da gol esta demostrando seu amadorismo e incompetência na tentativa de reversão dos prejuízos bilionários dos últimos anos fazendo economia de palitos as custas dos passageiros, quando na verdade os problemas estão disseminados em toda empresa, notadamente na pratica de tarifas abaixo do custo visando atrair passageiros. Ou muda aplicando o choque de gestão ou vai para o” buraco”.


domingo, 17 de fevereiro de 2013

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Espetacular, Vídeo Mostrando Todo Interior da Space Station




Duração de mais de vinte minutos com narração em inglês com todos detalhes do interior, em HD tem que ver e rever em tela cheia.
 This is pretty amazing!! In my opinion, one of the most interesting and informative videos I have ever seen.


""Uma vez que você tenha experimentado voar, você andará pela terra com seus olhos voltados para céu, pois lá você esteve e para lá você desejará voltar." (Leonardo da Vinci)

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

OS CHINESES ESTÃO CHEGANDO, DIGO, VOANDO

Avião deverá ser usado para ajuda humanitária no país asiático
Foto: Reprodução

A China testou com sucesso no sábado um grande avião com multifunção de transporte de cargas e de passageiros, de acordo com informações do jornal China Daily.
O Yun-20, ou Transporte-20, deve ser utilizado para a defesa da China e também para melhorar o acesso do país em casos de emergência como alívio de desastres e ajuda humanitária. O avião gigante deve continuar a realizar experimentos e os voos de teste, conforme informações do Global Times.

fonte:Terra

sábado, 26 de janeiro de 2013

Boeing 707 -345 C VJX –Varig \KC 137 FAB






A historia deste avião que é um sobrevivente  da época de ouro da pioneira que posteriormente foi cedido a FAB onde continuou a ser um herói dos ares.  Em  vídeo do YouTube.
Colaboração: Ivano Caron
Vídeo: Conviar 990

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Boeing 787 não tem prazo para voltar a voar





Autoridades reguladoras do Japão uniram-se às dos Estados Unidos nas investigações dos recentes incidentes a bordo do jato 787 Dreamliner, da Boeing, mas não concordaram em descartar sobrecarga de bateria como causa de fogo na aeronave. Os voos da aeronave estão suspensos durante uma semana sem uma previsão sobre quando poderão voltar a operar.

A solução da questão da bateria se tornou foco principal da investigação, apesar da agência federal de aviação dos EUA (FAA) ter afirmado na quarta-feira que ainda não há respostas firmes sobre a causa do surgimento de fogo e prazo para voltarem a voar. Enquanto isso, entregas do sofisticado avião estão ficando para trás e um importante cliente chinês da aeronave lamentou os atrasos e afirmou que seus planos de crescimento estão sendo prejudicados.

Autoridades decidiram deixar o 787 em terra em 16 de janeiro, depois de uma série de incidentes de segurança com o modelo, incluindo incêndio em bateria nos EUA e Japão. O problema no Japão causou um pouso de emergência. Na semana passada, a agência nacional de transportes dos EUA (NTSB) afirmou que o fogo em um 787 da Japan Airlines em Boston não foi causado por excesso de voltagem, e na quarta-feira autoridades japonesas concordaram com as investigações nos EUA, mas descartaram a possibilidade de problema na bateria como motivo do incidente em um voo da All Nippon Airways.

 "Aparentemente, parece que não houve sobrecarga", disse Norihiro Goto, presidente da agência de segurança em transportes do Japão (JTSB, na sigla em inglês), a jornalistas. "O fato de que tais incidentes relacionados a sistemas elétricos ocorreram consecutivamente, na minha perspectiva, não poderia ser esperado. Estamos encontrando dificuldade em tentar entender que tipo de investigação deveríamos assumir."

No final da quarta-feira, a NTSB informou que mais testes estão sendo feitos na bateria danificada no incêndio ocorrido em Boston, incluindo avaliações individuais das células da bateria. A presidente da agência, Deborah Hersman, deve dar mais informações nesta quinta-feira. A investigação também renovou inquérito sobre a decisão da FAA de 2007 que permitiu a Boeing usar uma tecnologia altamente inflamável no 787. Uma comissão do Senado dos EUA vai fazer uma audiência nas próximas semanas para avaliar a supervisão de segurança que embasou a decisão da FAA, afirmou um assessor parlamentar na terça-feira.

Enquanto a NTSB e a JTSB buscam uma solução para questão da bateria, há ainda um assunto aberto em torno de vazamentos de combustível do Dreamliner. No início de dezembro, autoridades dos EUA alertaram para uma falha de manufatura das linhas de combustível e no início deste mês um 787 da JAL em Boston sofreu um vazamento antes de decolar.

A Boeing já entregou 50 aviões 787 até agora. Cerca de metade dessas aeronaves estava em operação no Japão, com o restante sendo operado por companhias aéreas nos Estados Unidos, Índia, América do Sul, Polônia, Catar e Etiópia. A EADS, principal rival da Boeing, afirmou na quarta-feira que não espera que os problemas no 787 afetem a certificação de seu avião concorrente, o Airbus A350.

"Faremos o que for necessário para evitar os mesmos problemas", disse o chefe de estratégia da EADS, Marwan Lahoud, a uma emissora de rádio da França.
Fonte: Terra

Comentário:
È normal que apesar de exaustivos testes aeronaves  novas e incorporando mudanças tecnológicas drásticas apresentem diversos problemas que aos poucos vão sendo solucionados. Neste caso o preocupante e o problema da bateria de niMH (conhecida pelo uso em celulares e câmeras digitas entre outros)  devido as necessidades de energia do Boeing 787 esta armazena grande  quantidade de energia o que a torna potencialmente perigosa no caso de sobrecarga ou falha de uma ou mais células, podendo gerar um incêndio incontrolável, portanto esta é a principal razão para perda de licença de voo, o que esta causando sérios prejuízos aos operadores e a fabricante. * ByAAC*